Java e Bali

 

 

Já estou em Lisboa, apesar do meu voo ser apenas amanhã…mas como é bem cedo, resolvi vir hoje. Esta viagem será diferente. Pela primeira vez desde que comecei a viajar sozinho em 2001, vou deixar a fotografia de parte e vou focar a minha atenção no video. Quero experimentar algo novo e eu sei que não é possível fazer as duas coisas bem feitas ao mesmo tempo, pelo menos não com o tempo limitado que eu vou ter. Portanto, vou explorar este novo meio de vos mostrar as minhas viagens e quando voltar terei uma melhor ideia se valeu a pena ou não…mas tenho que tentar para saber :). Desta vez o voo é via Frankfurt, com escalas em Singapura e Jakarta, sendo o destino final a cidade de Yogyakarta, onde a minha aventura na Indonésia vai começar. É provável que actualize este diário quando estiver em Singapura, visto que tenho 5 horas de espera por lá e terei que ocupar o tempo com alguma coisa. Até amanhã.

 


 

BMPCC1_1_2014-09-02_1057_C0002_000004-Edit
Imagem retirada de video

 

 

Acabei por não actualizar esta página durante a viagem devido a problemas com o wifi. Em Singapura é necessário ir a um balcão de informações no aeroporto e pedir uma password de acesso para ter net gratuita. Eu fiz isso e funcionou perfeitamente no telefone mas depois percebi que era preciso outra password para usar no tablet e não estive para a ir pedir. Já em Jakarta, a net era tão má que eu simplesmente desisti. Estava sempre a cair. A imagem é da paisagem lindíssima que pude apreciar do avião no último voo do dia. Claro que a qualidade é fraca devido à janela mas fica o registo. Até amanhã.

 


 

BMPCC1_1_2014-09-03_0625_C0003_000005-Edit
Imagem retirada de video

 

 

Hoje o dia foi reservado para visitar alguns dos principais monumentos em redor da cidade de Yogyakarta, ou Jodja, como é chamada pelos locais. Não é exactamente a minha onda mas acabou por ser interessante. O templo de Prambanan é uma pouco tipo uma versão mini do templo de Angkor Wat no Cambodja. E quando digo que é uma versão mini, não quer dizer que é pequeno…o complexo até é bastante grande…só que Angkor é gigantesco. Quando comparo os dois é devido à arquitectura que é muito semelhante. Borobudur, que podem ver na imagem em cima, foi também uma paragem obrigatória. É o maior templo budista do mundo e só por isso já merecia a visita. Curiosamente é o maior templo budista do mundo mas não tem nenhuma estátua de Buda. Esperava encontrar estes locais com verdadeiras multidões, visto que Yogyakarta é uma cidade com uns 2 milhões de habitantes…mas nem estava muito mau. O tempo também esteve bom. Calor mas não um calor exagerado…e mesmo a humidade esteve moderada. O trânsito é de loucos, como eu esperava. Dúzias de motos cruzam-se com os carros, vindas de todas as direcções possíveis. Quando vejo estas cenas, que são comuns em muitas das grandes cidades na Ásia, fico sempre espantado em como eles não se matam todos uns aos outros :). É por esta razão que eu não arrisco a pegar num carro nestas paragens. Amanhã digo adeus à região de Yogyakarta e vou dirigir-me ao local que me fez vir a esta ilha…o Monte Bromo. Pelo menos para mim é o “highlight” da ilha de Java. Esperemos que o tempo continue bom. Ah…e finalmente comprei o cartão SIM da Telkomsel, o que me vai permitir ir colocando fotos dos locais que visitar ao longo do dia. O meu obrigado à minha guia e nova amiga (da qual eu me continuo a esquecer do nome) por me ter ajudado a comprar o SIM e a activa-lo. Então até amanhã!

 


 

BMPCC1_1_2014-09-04_2350_C0001_000001-Edit
Imagem retirada de video

 

 

Há certas coisas que podem arruinar uma viagem. Um hotel que não é aquilo que esperavamos, uma mala perdida, entre outras coisas. No entanto, nada se compara a ficar doente. Nunca me tinha acontecido mas pelos vistos, até para isto tinha que haver uma primeira vez. Ao segundo dia da minha viagem, fui afectado por uma intoxicação alimentar daquelas mesmo más, que me pôs KO nos últimos dias. No primeiro dia vomitei 13 vezes e nos dois dias seguintes continuei a sentir-me em baixo. Hoje é o primeiro dia em que me parece que estou de volta à normalidade, embora ainda não a 100%, quanto mais não seja porque a minha alimentação nos últimos dias resumiu-se a fruta. É esta a razão de eu não ter actualizado esta página nos últimos dias…é que só me tem apetecido estar deitado. Esperemos que o problema tenha de facto passado à história :). Em relação à viagem propriamente dita, é complicado fazer uma avaliação sobre um destino quando se tem vontade de ir pra casa. A impressão com que ficarei da Indonésia vai ficar baseada mais no que vir nos próximos dias do que naquilo que ficou para trás. A ver vamos como a viagem continua :). Até breve.

 


 

BMPCC1_1_2014-09-07_0353_C0000_000005-Edit
Imagem retirada de video

 

 

Parece que as notícias que aunciavam a minha recuperação foram um pouco precipitadas :). Ontem tive mais um dia miserável e hoje tem sido um dia mais ou menos. Mas pronto, chega de desgraça. Falando da viagem e de Bali em particular, ilha onde estou neste momento, o contraste entre a parte turística e o resto é gigantesco. Denpasar, a parte para onde 90% das pessoas vão, mais precisamente a praia de Kuta, tem os resorts, tem as lojas de marca, os fast food, o trânsito horrível, a agitação nocturna. É igual a tantas outras regiões deste tipo por esse mundo fora. O resto da ilha parece que segue 50 anos atrás. Vive essencialmente da agricultura, seja do arroz, seja de outros vegetais e frutos, o trabalho é todo feito manualmente, quando muito com a ajuda de animais (não vi uma única máquina agrícola) e os turistas são em muito menor número, apenas aqueles que se aventuram para fora da “bolha” nem que seja por um dia. Bali é 93% hindu, ao contrário de Java que é maioritariamente muçulmana. Isto quer dizer que há templos por todo o lado. Isto é literal porque cada casa tem o seu pequeno templo para a família. Vemos com frequência a preparação para casamentos, funerais e cremações. É uma ilha altamente espiritual. Amanhã é o meu último dia de viagem e, depois do que me aconteceu, deve ser a primeira vez na vida que não tenho pena nenhuma que uma viagem acabe :). Até amanhã.

 


 

BMPCC1_1_2014-09-09_1048_C0003_000000
Imagem retirada de video

 

 

Agora que já regressei há uns dias e que já recuperei do que me aconteceu na viagem, é altura de fazer um balanço. Um balanço que é sem dúvida influenciado pelo facto de ter estado doente durante parte desta minha aventura pela Indonésia. E qual é a minha opinião sobre o país? Gostei? É complicado dizer depois daquilo que passei. Seria possível desfrutar do destino mais espectacular do mundo, estando doente? Penso que não. E esse é o problema. Visitei locais muito bonitos, tanto na ilha de Java como na ilha de Bali. As pessoas com quem contactei foram amáveis, tudo decorreu sem falhas ou atrasos. Em relação à comida, e independentemente do problema que tive, tenho uma relação complicada com a alimentação asiática…e sempre que viajo para aqueles lados, recorro a fast food para não passar fome :) E o que acontece quando não há fast food por perto? Pois é…esse é o problema. A alimentação daquela região é muito baseada em vegetais, que eu quase não como, e em refeições muito condimentadas com especiarias, que eu também não aprecio. Acho que não volto aquela região nos próximos tempos :). Em relação aos highlights da viagem, gostei muito da visita ao Mount Bromo (embora estivesse à espera de algo com maior factor uau) e gostei muito da região de Ubud, em Bali, com os seus campos de arroz em socalcos, que proporcionam uma paisagem única. A parte que menos gostei foi precisamente aquilo que leva a maior parte dos turistas a Bali…que é a região de Denpasar e da praia de Kuta. Como já escrevi em cima, é um local como tantos outros por esse mundo fora, com as lojas, a confusão, o trânsito caótico e a vida nocturna de um local procurado por tanta gente. O que mais me surpreendeu é que na minha opinião, e ao contrário de outros locais idênticos, neste caso penso que nem a qualidade das praias justifica essa procura. Outra coisa menos positiva, em particular na ilha de Bali, é que os cenários são muito repetitivos. Muitos campos de arroz e muitos templos hindus. É isso que há para ver. E por muito bonito que seja, passado algum tempo torna-se repetitivo e cansativo.

Conforme eu escrevi na introdução a esta viagem, desta vez optei por não fotografar e por fazer um trabalho em video. Também neste caso o resultado da viagem foi altamente afectado pela minha intoxicação alimentar, que fez com que fizesse muito menos imagens do que era suposto, tendo mesmo sido obrigado a cancelar visitas a alguns locais que tinha programadas. Ainda assim estou agora no início da edição do trabalho e irei tentar fazer o melhor que puder com aquilo que tenho. É provável que demore algumas semanas visto que a minha experiência com vídeo é muito limitada e demoro muito a fazer coisas que para uma pessoa experiente seriam muito mais rápidas. E em relação à experiência propriamente dita, confesso que não gostei muito. Mas era isto que eu queria testar. Se o video poderia de alguma forma ser um meio alternativo para mim. Agora sei que não. Poderei continuar a gravar alguns clips para pequenos videos mas nunca mais deixarei a fotografia de lado. Tive a confirmação que sou fotógrafo e nada mais :).

Agora é aguardar pela próxima viagem, que na realidade serão duas em sequência. A partir de 25 de Novembro, aqui no mesmo site do costume :). Obrigado por acompanharem mais esta viagem, ainda que não tenha sido com atualizações tão frequentes como eu queria.

 

 

Name / Nome

Email

Subject / Assunto

Message / Mensagem