Boracay, Filipinas

 

O nascer do sol já perto de Manila

 

 

Mais uma longa viagem e finalmente no meu destino final. Por muito que uma pessoa esteja habituada a passar horas intermináveis em aeroportos e aviões, a experiência nunca se torna agradável. Para terem uma ideia ao que me refiro quando falo em viagem longa, as etapas foram as seguintes: duas horas e meia de Viseu a Lisboa, sete horas e quinze minutos de Lisboa ao Dubai, noite no Dubai e mais algumas horas por lá até novo voo de sete horas e meia do Dubai até Manila, três horas de espera no aeroporto de Manila e mais um voo, desta vez com destino ao aeroporto de Caticlan, na ilha vizinha de Boracay, sendo esta etapa mais curta, um pouco menos de uma hora, mas com direito a cerca de meia hora de espera dentro do avião, antes de este poder finalmente partir. Para finalizar, uma curta viagem de barco entre as duas ilhas vizinhas e outra curta viagem de carro entre o porto e o hotel. Pois é…viajar não é só maravilhas :).

A chegada a Manila foi “interessante”. Mesmo nos países não desenvolvidos, os aeroportos costumam funcionar razoavelmente bem. O da capital das Filipinas precisa urgentemente de mudanças, ou então fui eu que tive uma experiência fora do normal. Tudo começou com a bagagem. O tempo que estive à espera da minha mala foi exactamente uma hora e dez minutos. Agora imaginem se o meu vôo seguinte não permitisse essa espera toda. Estava tramado! Verdade seja dita que neste caso a responsabilidade não é totalmente do aeroporto. Eu não sabia que era humanamente possível saírem tantas malas de um único avião :). Depois disto seguiu-se o transfer. Para quem não está habituado a frequentar aeroportos, é bastante comum que estes tenham dois, três ou até mais terminais, especialmente em grandes cidades. Por esta razão, pode acontecer que a chegada se dê num dos terminais e a partida para o voo seguinte seja noutro, especialmente quando se passa de um voo internacional para um voo doméstico. A ligação destes terminais pode ser simplesmente a pé, quando são próximos, ou através de um qualquer transporte oferecido pelo aeroporto, quando a distância é maior. Ora bem…quando cheguei, segui as indicações para o transfer do T1 para o T3. A primeira surpresa foi o local de espera que era no exterior do terminal, com uma temperatura de 30 graus. Fantástico. Mas o melhor estava para vir! Apareceu um minibus com uns 20 anos (no mínimo) e com portas que supostamente deviam ser automáticas mas que só abriam à pancada LOL. Ok, tudo bem…pior do que isto não deve ficar. Mas ficou! Entramos lá para dentro mas havia uma questão…então e as malas vão onde? Ahhhh ok, tudo bem…sabem aquele espaço que existe dentro de um minibus entre as filas de bancos, que nos outros países é desperdiçado para que as pessoas possam entrar e sair e movimentar-se? Nas Filipinas é usado para por bagagem ao monte, quase até ao teto LOL. Eu até que tentei tirar uma foto rápida para ilustrar a cena, mas não me podia mexer para tirar o telefone do bolso. A sério :). Depois o percurso entre os terminais. Começou pelo exterior do perímetro do aeroporto, passado uns minutos já estávamos a passar mesmo ao lado de aviões, dentro das instalações, mesmo junto às pistas…tudo isto com uma segurança quase não existente. Ao ponto de na paragem no T4, onde o minibus passou também, o motorista ter desaparecido durante uns 5 minutos, que seria mais do que suficiente para alguém com más intenções ter saído do transporte e a partir dali tinha acesso a qualquer ponto do aeroporto.

Enfim…apesar de tudo ainda me ri um bocado com a situação mas se na Malásia for igual, não me admira nada que tenham embarcado passageiros com passaportes falsos no tristemente famoso voo da Malaysia Airlines.

As fotos que ilustram este primeiro relato são apenas imagens que fui registando ao longo do percurso até aqui, visto que ainda não tenho nada de Boracay. A exploração da ilha vai começar amanhã.

 

Quando se passam horas intermináveis num avião, tudo se torna fotogénico
Quando se passam horas intermináveis num avião, tudo se torna fotogénico

 

O metro do Dubai, totalmente automatizado, sem motorista
O metro do Dubai, totalmente automatizado, sem motorista

 

É o maior shopping do mundo mas é igual a todos os outros
É o maior shopping do mundo mas é igual a todos os outros

 

Olhar para isto durante horas a fio pode levar ao dsesespero :)
Olhar para isto durante horas a fio pode levar ao dsesespero :)

 

Nas Filipinas não há misturas! Vêm as diferenças? Depois não digam que as mulheres não são mais atrapalhadas! :)
Nas Filipinas não há misturas! Vêm as diferenças? Depois não digam que as mulheres não são mais atrapalhadas! :)

 

Juro que lhes disse que era apenas uma pessoa!
Juro que lhes disse que era apenas uma pessoa!

 


 

20140424_filipinas_0441

 

 

Um dos problemas de viajar bastante é que vai sendo cada vez mais difícil ficar impressionado. Na realidade acontece o oposto. Lugares que seriam excelentes para a maioria das pessoas, tornam-se de certa forma banais. Isto aplica-se às primeiras impressões com que fico em relação à ilha de Boracay.

Quando decidi vir cá e marquei o hotel, desde logo me pareceu que eram hoteis a mais para uma ilha tão pequena. Para por as coisas em contexto, imaginem uma ilha em forma de osso, em que o centro é mais estreito, sendo as extremidades mais largas. Deve ter 6 ou 7 km de norte a sul, sendo que de este a oeste se percorre em 10 ou 15 minutos, pelo menos nesta parte mais estreita. Ou seja, é uma ilha pequena. O resultado é gente a mais para espaço a menos. Tem realmente algumas praias muito simpáticas, em particular a White Beach, que no entanto é onde estão localizados a grande parte dos hoteis e por isso tem imensa gente. O mais grave é que se continuam a construir mais resorts.

A infraestrutura também é bastante pobre, havendo muitas ruas em terra, que após alguma chuva se transformam em ruas de lama. O cheiro em alguns locais também não é lá muito agradável. Há ainda o problema do barulho, tanto devido à construção que continua um pouco por toda a ilha como também porque o pessoal aqui só se sente feliz se estiver sempre com a mão na buzina :).

Mas não é tudo mau. Como já disse, para os amantes de praia, é um bom destino. Calor, areia branca, água quente, mar absolutamente tranquilo, como se fosse um lago. Ahhh…e tem-se pé quase até à Indonésia LOL. É um local totalmente tranquilo, daqueles onde as pessoas deixam as coisas no areal e vão para o mar, sem medo que algo desapareça. É também um destino barato, tanto ao nível do alojamento como de coisas básicas como alimentação ou bebidas. Para terem uma ideia, uma lata de coca cola custa por volta dos 50 ou 60 cêntimos, algo impensável noutros destinos em que o turismo é a totalidade do rendimento das pessoas, ou perto disso.

Quanto a fotos, e devido à quantidade de pessoas que referi no início, tem mesmo que ser logo após o nascer do sol, quando a ilha ainda dorme, pelo menos os turistas.

 

20140424_filipinas_0201

 

20140424_filipinas_0445

 

20140424_filipinas_0499

 

20140424_filipinas_0541

 

20140424_filipinas_0559

 


 

A curtir o final da tarde

 

 

Estava aqui a pensar numa forma de explicar ao pessoal em Portugal, que tipo de turismo existe em Boracay. Que tal “a Benidorm dos Chineses”? :) É verdade…não fossem eles tantos e eu diria que estavam aqui todos! Eles são realmente a esmagadora maioria dos turistas aqui na ilha. Existem também alguns ocidentais mas não muitos, pelo menos nesta época. E desses ocidentais, uma parte são daqueles que se fazem acompanhar por mulheres locais um bocadinho mais novas, com tipo um terço da idade LOL Enfim, faz parte destes sítios. Já na Tailândia é a mesma coisa.

O tempo tem estado excelente durante o dia…o grande problema para mim que quero fotografar, é que tanto no nascer como no por do sol, tem estado nublado, o que ainda não me permitiu fotos decentes nestas horas do dia…e um fotógrafo de viagens que não leve para casa um belo PDS é um incompetente :). O calor não é muito elevado, cerca de 30 graus…mas a umidade é impressionante. Quando volto para o hotel depois de uma caminhada de uma hora e meia ou duas horas, parece que tomei banho vestido.

Hoje as fotos são diferentes. Em vez de publicar algumas das minhas preferidas, que normalmente tentam eliminar tudo o que é seres humanos, resolvi publicar imagens que mostrem um pouco mais da ilha, tanto junto à praia como o resto que normalmente não iria aparecer nas minhas fotos. Hoje a praia estava ainda mais movimentada. Está a decorrer aqui uma prova de Dragon Boats, que são barcos a remos compostos por tripulações que podem ir de apenas 10 até 50 ou mais remadores. Deve ser uma prova com alguma importância porque estão presentes equipas de toda a Ásia, bem como Austrália e Nova Zelândia. Além disso tem a cobertura do AXN Asia, com filmagens de helicóptero e tudo.

 

Uma das equipas de Dragon Boat a treinar...às 6 da manhã!
Uma das equipas de Dragon Boat a treinar…às 6 da manhã!

 

O que é que não pode faltar num local turístico, por muito pequeno que seja?
O que é que não pode faltar num local turístico, por muito pequeno que seja?

 

Algum candidato a fotógrafo de casamentos em Boracay?
Algum candidato a fotógrafo de casamentos em Boracay?

 

Instalações elétricas que são um regalo para a vista e, imagino, super seguras :D
Instalações elétricas que são um regalo para a vista e, imagino, super seguras :D

 

A rua principal cá da ilha
A rua principal cá da ilha

 

Parque de "taxis"
Parque de “taxis”

 

Uma das estações de salva vidas
Uma das estações de salva vidas

 

Dois dos barcos das corridas de Dragon Boats
Barcos das corridas de Dragon Boats

 

Ao longo de toda a praia há lojas, restaurantes, pousadas, etc.
Ao longo de toda a praia há lojas, restaurantes, pousadas, etc.

 

O parque de estacionamento local :)
O parque de estacionamento local :)

 


 

20140425_filipinas_0743

 

 

Mais um nascer do sol frustrado. Entre as 4:00 e as 4:30 da manhã passou por aqui uma grande trovoada. Nesse momento já sabia que não ia ter sorte…mas o que irrita é que às 7:00 já estava um lindo dia. Vamos ver se é amanhã! Uma das vantagen de passar vários dias no mesmo lugar é poder voltar aos mesmos spots as vezes que forem necessárias e poder fotografa-los às melhores horas.

Como eu comentei numa foto que pus no facebook esta manhã, nunca me aconteceu eu sair à rua às 5:00 da manhã e já andar imensa gente a passear…e não são pessoas que passaram a noite na rua…não. Também os há mas esses percebe-se bem quem são. A maioria são mesmo pessoas que se levantam cedo como eu, no caso deles para aproveitar a praia enquanto não é invadida pelos restantes turistas. E por esta razão, é muito complicado fotografar aqui. Normalmente a minha arma para conseguir registar os locais mais fotogénicos é mesmo acordar bem cedo, antes de todos os outros. Desta vez isso não chega. Tenho tentado ter toda a paciência do mundo para esperar o momento certo, aqueles 5 segundos em que apanho o que quero sem outras pessoas à frente. Não tem sido fácil!

Fotografia à parte, o ambiente na ilha é excelente. A praia, especialmente no final da tarde e início da noite, transforma-se numa grande festa. É pessoal a jogar volei de praia, são crianças a brincar, pessoas na água mesmo quando já é noite ou simplesmente sentadas na areia a apreciar o por do sol…e a ajudar tudo isto, os sons e cheiros que vêm dos restaurantes e bares presentes na “marginal”, que neste caso não é mais do que um estreito caminho de terra ao longo da praia. Praia esta que também muda muito da manhã para a tarde. Devido às marés, de manhã o areal tem mais do dobro da extensão que tem à tarde…o que faz com que pareça enorme no início do dia e curta para tanta gente durante a tarde.

Deixo-vos fotos de mais um dia em Boracay.

 

20140424_filipinas_0366

 

20140424_filipinas_0375

 

20140425_filipinas_0778

 

20140426_filipinas_1145

 

20140426_filipinas_1172

 

20140426_filipinas_1187

 


 

20140427_filipinas_1331

 

 

Hoje passei o meu dia no outro lado da ilha. Para perceberem a geografia do território, imaginem-na em forma de osso, onde o centro é mais estreito e as pontas mais largas. Nessa parte mais estreita estão as duas principais praias, a White Beach a oeste e a Bulabog Beach do lado este. Estão ambas separadas por uma curta faixa de terreno, talvez 1 km no máximo. No entanto, ir a uma praia e depois ir à outra parece que estamos a viajar entre ilhas bem distantes. A White Beach é a praia onde tenho fotografado sempre. É a mais bonita em termos de cenário, dos tons da água, da cor da areia. No entanto é também muito mais frequentada por turistas, o que lhe retira algum do charme. Do outro lado temos a Bulabog Beach. Não tendo a mesma beleza natural e estando do lado da ilha mais ventoso e onde há menos hoteis, os turistas são muito menos e é uma praia onde os locais predominam. Por esta razão, é aqui que também se pode ver como seria a ilha sem o turismo. É um lado muito mais genuíno.

Todas as fotos que podem ver em baixo são do lado mais esquecido pelo turismo :).

 

20140427_filipinas_1307

 

20140427_filipinas_1291

 

20140427_filipinas_1314

 

20140427_filipinas_1370

 

20140427_filipinas_1394

 

20140427_filipinas_1411

 

20140427_filipinas_1418

 

20140427_filipinas_1448

 


 

20140424_filipinas_0361

 

 

Último dia completo nas Filipinas. E foi neste último dia que tive o melhor nascer do sol e também o melhor por do sol. O tempo esteve excelente durante toda a minha estadia aqui mas os dias teimavam em começar sempre nublados devido a trovoadas durante a madrugada. Esta semana foi o tempo ideal para ficar a conhecer muito bem a ilha, para poder procurar os locais ideais para fotografar e para poder lá voltar com as melhores condições de luz possíveis.

Hoje gastei algum tempo a fazer alguns pequenos videos para daqui a uns dias vos poder mostrar um pouco do que é a atmosfera aqui na ilha, não apenas com imagens em movimento mas também através dos sons. Videos básicos, só mesmo para tentar passar um pouco do ambiente. Ainda pensei em publicar isso mas a internet aqui no hotel é demasiado lenta para poder fazer o upload de videos.

Amanhã começa o martírio da viagem de volta :). Saio daqui de Boracay ao início da tarde e por isso é natural que na próxima vez que escreva algo aqui, já esteja ou em casa ou pelo menos a meio caminho. Em baixo deixo mais algumas fotos, parte delas tiradas hoje e outras tiradas ao longo destes dias.

 

20140427_filipinas_1534

 

20140424_filipinas_0297

 

20140428_filipinas_1648

 

P4250633

 

20140428_filipinas_1697

 

20140428_filipinas_1548

 


 

 

Ora bem…depois de uns dias em casa, aqui estou eu de volta. Hoje venho apenas deixar-vos um pequeno video que fiz durante a viagem, que não é mais do que o conjunto de clips que fui filmando ao longo dos meus dias em Boracay e também com algumas imagens do Dubai. É um video totalmente amador, composto por imagens feitas na sua grande maioria com o telefone, algo que fiz apenas para mostrar um pouco mais do ambiente local. Espero que gostem :)

 

 


 

 

Para finalizar o capítulo Boracay, adicionei mais algumas fotos que podem ser visualizadas no slideshow no topo da página. Conforme fui dizendo ao longo da viagem, esta ilha das Filipinas é um bom destino para os amantes de praia, com as suas águas quentes, calmas e de cores paradisíacas. No entanto, penso que para nós portugueses, existem praias igualmente boas e a uma distância menor, como em várias das ilhas das caraíbas, por exemplo. Para além da distância, há a questão da sobre lotação. Para uma ilha tão pequena, existem definitivamente hoteis a mais, o que leva a pessoas a mais. Ao contrário de outros destinos de praia que já visitei, em Boracay é praticamente impossível ter um pouco de praia só para nós, nem mesmo às 5:30 da manhã.

Agora é aguardar por mais uma aventura, que já está a ser programada. Até Setembro :).

 

 

Name / Nome

Email

Subject / Assunto

Message / Mensagem